Nenhum produto no carrinho.

Subtotal: R$0,00

HI CRIS! SO… I KNOW YOU STARTED OUT AS A MODEL. WAS THAT WHAT YOU WANTED TO DO AS A CAREER?

Not really… Back then, there was a Brazilian magazine called Capricho which was like Vogue for us; everyone was crazy about it! One day, someone from the magazine came to my school to cast some of us for a shooting in Disney World. I was 16 going on 17. Everyone wanted to do it, and I got picked! Once there, I ended up being more interested in everything else but the modeling part ; helping the stylist to arrange the looks, talking to the photographer about the best locations, the lights… I loved the whole experience and ended up on the cover! When I came back, I just went back to my normal teenager life. After graduating from high school I had absolutely no idea what to study. My mom suggested I should become a lawyer as the safe thing to do but she saw I wasn’t so sure about it and took me to a career orienteer which was the best thing that could have happened to me as he was pretty convinced I should work in creation and absolutely NOT becoming a lawyer! Haha. My mom told me I should really do something I love, in order to do it well. Simple but accurate. Yet I still didn’t know if I had enough talent to become a fashion designer. So I went to University and started studying multiple areas linked to fashion: marketing, management, design… At that time in Brazil it was only the beginning in terms of fashion. So after graduating, I decided to go study in Europe, and went to Istituto Marangoni in Milan where they had this one-year specialized course in fashion design. I realized that the whole modelling experience had been like a workshop: I had worked with the best designers, photographers, brands, art directors in Brazil! It was the best experience anyone could have. So I continued modelling a bit there, choosing the projects and people I wanted to work with. And somehow it worked out well, I even did some catwalks, when you know I am not that tall!

OI CRIS! ENTÃO… SEI QUE VOCÊ COMEÇOU COMO MODELO. VOCÊ ESCOLHEU SEGUIR A CARREIRA DE MODELO?

Na verdade não foi bem assim…existia no Brasil uma revista adorada por todos chamada Capricho e que era na época o que a Vogue é hoje para nós. Um dia, alguém que trabalhava na revista veio até a minha escola para selecionar alguns alunos para participar de uma matéria na Disney World. Eu tinha 16 anos, quase 17. Todos queriam participar e eu fui a escolhida! Quando cheguei na Disney, fiquei muito interessada naquilo tudo, exceto na parte em que tinha que atuar como modelo, ou seja, queria ajudar o stylist a montar os looks, conversar com o fotógrafo sobre qual seria a melhor locação, sobre a iluminação… adorei a experiência como um todo e acabei saindo na capa da revista! Quando voltei da viagem, retomei a vida normal de adolescente. Quando me formei no colegial, não fazia ideia do que queria estudar na faculdade. Minha mãe sugeriu que eu me tornasse advogada mas, ao perceber que eu não estava convencida de que queria estudar advocacia, ela me levou para conhecer um orientador vocacional e isso foi a melhor coisa que me aconteceu, pois já estava bem convencida de que deveria trabalhar com criação e JAMAIS me tornar advogada! (risos). Minha mãe me aconselhou a fazer algo que eu realmente amasse porque, segundo ela, se eu trabalhasse com paixão, o trabalho sairia bem feito. Simples mas fundamental. Mesmo assim eu não tinha certeza de que tinha talento suficiente para me tornar estilista. Entrei na faculdade e fui estudar várias áreas relacionadas com a moda como, por exemplo, marketing, gestão, design…naquela época, a área da moda estava apenas começando no Brasil. Por esse motivo, quando me formei, decidi ir estudar na Europa. Me matriculei em um curso de especialização em estilismo oferecido pelo Istituto Marangoni em Milão com duração de um ano. Foi quando senti que a minha experiência como modelo havia sido como um laboratório, pois havia trabalhado com os melhores stylists, fotógrafos, marcas e diretores de arte no Brasil! Ninguém poderia ter tido uma experiência melhor do que essa. Então continuei trabalhando como modelo aqui e ali, escolhendo os projetos e as pessoas com as quais queria trabalhar. E esse caminho deu certo, cheguei ate a fazer alguns desfiles e você já sabe que nem sou tão alta assim!

WELL KATE MOSS IS NOT THAT TALL NEITHER…

Haha well okay but I am not Kate Moss!

BOM, A KATE MOSS TAMBÉM NÃO É TÃO ALTA ASSIM…

(risos) tudo bem, mas eu não sou a Kate Moss...

WHAT DID YOU DO AFTER THAT?

I stayed in Milan and started working as an intern for Stephan Janson which was really nice because he had all this amazing experience with Yves Saint-Laurent. He ended up hiring me. I was also still doing a few modelling jobs on the side. One day as I was working on an italian TV commercial, I remember the director wanted to shoot a long white dress and got pissed at the stylist because he didn’t like any of the dresses she had bought to the shoot. At that time I was creating my own dresses to wear since I knew all these great seamstresses in Milan who would sew my designs, and so I happened to have one of them with me and asked the stylist if I could suggest it to the director. She was so desperate that she begged me to do it. So I put it on and I walked around in it without saying anything… He loved it and there I had my first creation in a TV commercial.

O QUE FEZ QUANDO TERMINOU O CURSO?

Fiquei em Milão e comecei a trabalhar como estagiária do Stephan Janson. Foi muito bacana porque ele tinha tido uma experiência maravilhosa com o Yves Saint-Laurent. Acabei sendo contratada e ainda fazia alguns trabalhos como modelo por fora. Um dia estava trabalhando em um comercial de TV italiano gravado em Marrakesh e me lembro que o diretor queria fotografar um vestido branco longo, porém o diretor estava em uma discussão com a stylist porque não havia gostado de nenhum dos vestidos que ela havia produzido para a sessão de fotografia. Na época, eu já criava os meus próprios vestidos porque conhecia excelentes costureiras em Milão que produziam as minhas criações. Por acaso, nesse dia, eu havia trazido um dos vestidos criados por mim e perguntei à estilista se poderia sugerir ao diretor que usássemos essa minha criação. Ela estava tão desesperada que me implorou que fizesse justamente isso. Coloquei o vestido e dei umas voltas sem dizer uma só palavra…ele adorou o vestido e foi assim que uma peça minha apareceu pela primeira vez em um comercial de TV.

HE SAW YOUR BRAND BEFORE IT EVEN EXISTED!

I was so happy! Suddenly I had I lot of friends, was travelling everywhere and earning money on my own… It was an amazing period. Especially for such a young woman, on her own, in a foreign country. I would have probably stayed longer but my mother fell sick with cancer so I went back to Brazil to be with her. I was 21 years old.

ELE CONHECEU A TUA MARCA ANTES MESMO DE ELA TER SIDO CRIADA!

Fiquei tão feliz! De uma hora para outra fiz vários amigos, viajava para todos os cantos e estava ganhando o meu próprio dinheiro…foi uma época maravilhosa, especialmente para alguem jovem, sozinha e em um país que não o seu. Teria ficado na Itália por mais tempo, mas minha mãe estava em um tratamento de câncer. Foi então que voltei ao Brasil para estar ao lado dela. Eu tinha 21 anos. (hoje em dia minha mãe esta ótima)

WHAT DID YOU DO WHEN YOU CAME BACK HERE AFTER SUCH AN INCREDIBLE EXPERIENCE THERE?

I sent out my portfolio to Renato Kherlakian from the jeans brand Zoomp to which he replied that he loved my work but didn’t have anything available in his design department at the moment, but he needed someone with a special eye in the marketing department. It was a good salary, I was 23, I took the job! The first campaign I managed there was with Mario Testino and Carine Roitfeld! They were the best team in fashion back then. I had a lot of responsibilities and it felt amazing. Renato gave me his trust. I learned a lot there. It opened my mind and gave me a complete vision of how a brand worked: marketing, finance, stores, PR, castings.

DEPOIS DE UMA EXPERIÊNCIA TÃO INCRÍVEL NO EXTERIOR, O QUE FEZ QUANDO VOLTOU AO BRASIL?

Enviei meu portfólio ao Renato Kherlakian, dono da marca de jeans Zoomp. Ele me respondeu para me dizer que embora tivesse adorado o meu trabalho, naquele momento não havia uma vaga aberta na área de criação, mas que estava precisando de alguém com um olho especial para trabalhar na área de marketing. O salário era bom, eu tinha 23 anos e aceitei a proposta para trabalhar na Zoomp! A primeira campanha pela qual fui responsável foi com o Mario Testino e a Carine Roitfeld! Na época, eles formavam a melhor equipe de moda do mundo. Eu tinha várias responsabilidades e a sensação foi fantástica. O Renato confiou em mim e aprendi muito lá. Abri a cabeça e adquiri uma visão global do funcionamento de uma marca em termos de marketing, finanças, lojas, PR e seleção de modelos (casting).

WAS IT THIS GLOBAL VISION OF THE BUSINESS THAT MOTIVATED YOU TO FINALLY LAUNCH YOUR OWN BRAND? AND LIKE WHAT DOES THE 1ST DAY OF CREATING YOUR COMPANY LOOK LIKE?

The experience at Zoomp was amazing for sure but at some point I also felt a bit distant from what I really wanted to do; fashion design. Also I could never find anything to buy that I really wanted to wear, and all this time I would still continue to do my own clothes. People asked me about what I was wearing all the time. I finally decided to launch my own brand in August 2002. I was confident because I knew a lot about the Brazilian fashion industry. I found a space in “low” Oscar Freire where, back then, there were absolutely no stores. The space used to be a pizza place. So I called my friend and architect Carolina Maluhy who was working starting her own company. I told her that this would be her first job as an independent architect and because I didn’t have a lot of budget, we created this simple concrete-based and raw wood project. I designed a collection of 80 pieces and asked some friends of mine to each give me the contact of 10 of their friends that I could invite to my store opening. It was funny because all the designers were doing the opposite: they would first gather with other designers to be sold in showrooms, and then only open their own store, when I wanted to create my identity before selling to multibrands. We had a great evening with all my friends and their friends : everyone showed up! The next morning when I arrived at the store I would pray for at least one client to show up. At 9.45am I had already 5 clients waiting at the door. In 15 days I sold the entire collection! I didn’t know if I had to laugh or cry: I didn’t have any item to sell anymore and yet didn’t want to repeat the pieces. I really believe in limited editions.

FOI ESTA VISÃO GLOBAL DO NEGÓCIO QUE FINALMENTE TE MOTIVOU A LANÇAR A SUA MARCA PRÓPRIA? COMO FOI O DIA EM QUE VOCÊ CRIOU A SUA EMPRESA?

Não há dúvida de que a experiência na Zoomp foi fantástica, mas, a uma certa altura, me senti um pouco distante do que realmente queria fazer, ou seja, ser estilista. Também não conseguia achar nada que quisesse comprar para vestir e, por conta disso, continuava a mandar fazer as minhas próprias roupas. As pessoas sempre me perguntavam que marca eu estava vestindo. E foi assim que, em agosto de 2002, eu finalmente decidi lançar a minha marca própria. Estava confiante, pois conhecia muito bem a indústria da moda no Brasil. Encontrei um espaço físico na parte “baixa” da Oscar Freire aonde, naquela época, não havia nenhuma outra loja. Antes de nós havia nesse espaço uma pizzaria. Convidei minha amiga e arquiteta Carolina Maluhy, que também estava montando a empresa dela e disse a ela que a loja seria o primeiro projeto dela como arquiteta independente. Como o meu orçamento não era alto, criamos um projeto simples baseado em estruturas de concreto e madeira bruta. Criei uma coleção com 80 peças e pedi aos amigos que me passassem 10 contatos de cada um para convidá-los para a inauguração da loja. Foi engraçado porque todos os outros estilistas estavam fazendo justamente o contrário, ou seja, primeiro se associavam a outros estilistas para venderem nos showrooms e somente depois inauguravam uma loja própria. Preferi criar uma identidade própria antes de começar a vender em lojas multimarcas. No dia da inauguração da loja, eu e meus amigos e os amigos deles passamos uma noite maravilhosa...ninguém faltou na inauguração da loja! Quando cheguei na loja na manhã seguinte, rezei para que pelo menos uma cliente aparecesse. Às 9:45hrs já havia cinco clientes esperando a loja abrir as portas. Vendi a coleção inteira em 15 dias! Não sabia se ria ou chorava porque não havia restado nenhuma peça à venda e eu não queria repeti-las. Eu realmente acredito em edições limitadas.

HOW MANY PEOPLE WERE WORKING FOR YOU BACK THEN?

I was doing pretty much everything by myself: the fittings, the designs… I had three salespersons and one accountant. That was it. I didn’t have any assistant. I was working on the week-ends, at night…. It was crazy. Until the business grew and I was able to hire more help.

NAQUELA ÉPOCA, QUANTAS PESSOAS TRABALHAVAM PARA VOCÊ?

Eu fazia praticamente tudo sozinha: as provas, os desenhos…tinha três vendedoras e um contador e ponto final. Não tinha uma assistente. Trabalhava nos fins de semana, à noite...era uma loucura. Até que o negócio cresceu e pude então contratar novos funcionários.

I FEEL THIS IS ALSO SOMETHING VERY CRUCIAL FOR A COMPANY: KNOWING WHEN TO INVEST IN GROWING.

For sure! It was impossible for me to work at the same time on the designs, the accounting part, talk to multibrands buyers, to clients…

SINTO QUE ESSE PONTO É MUITO IMPORTANTE PARA UMA EMPRESA: SABER QUANDO É A HORA DE INVESTIR NO CRESCIMENTO.

Com certeza! Era impossível criar a coleção e coordenar produção, financeiro, conversar com os compradores das lojas multimarcas, conversar com as clientes…

OBVIOUSLY YOU MADE ASSERTIVE CHOICES BECAUSE OF THE BUDGET YOU HAD AT THE TIME WHICH ENDED UP BEING VERY COOL, BUT HOW DID YOU KNOW WHAT WAS GOING TO BE THE IDENTITY OF YOUR BRAND?

When I began, I had a very simple business plan. Almost nothing was written.  I was just following my intuition.

EM FUNÇÃO DO ORÇAMENTO LIMITADO, NA ÉPOCA VOCÊ TEVE QUE SER FIRME NAS SUAS DECISÕES E ACHO ISSO MUITO BACANA. MAS COMO SABIA QUAL SERIA A IDENTIDADE DA SUA MARCA?

Quando comecei, o meu plano de negócios era bem simples. Não tinha praticamente nada por escrito. Apenas segui minha intuição.

I LIKE THE BRAND BECAUSE IT IS ROMANTIC, COMFORTABLE, EASY, COLORFUL, AND VERY FEMININE, IN A BEAUTIFUL WAY. I FEEL YOUR CLOTHES ARE DRESSES MADE TO BE WORN FOR WEDDINGS THAT YOU AUTHORIZE YOURSELF TO WEAR EVERYDAY. IS THAT YOUR VISION OF THE MODERN WOMAN?

I think it is my vision of the world. I work with passion and emotion. When I design one piece I like to believe I can transport people to a particular universe. I love to wear more sophisticated pieces to low-key places and when I go to places where people expect me to be really produced, I always go more dressed down. The secret relies in good accessorizing, like wearing a pair of babouches for a wedding!

GOSTO DA MARCA PORQUE ELA É ROMÂNTICA, COMFORTÁVEL E MUITO FEMININA, TUDO ISSO DE UMA FORMA MUITO BONITA. SINTO QUE AS SUAS PEÇAS SÃO VESTIDOS FEITOS PARA SEREM USADOS EM FESTAS DE CASAMENTO, MAS QUE VOCÊ SE PERMITE VESTI-LOS TAMBÉM NO DIA-A- DIA. É ESSA A SUA VISÃO DA MULHER MODERNA?

Acho que é a minha visão de mundo. Trabalho com a paixão e a emoção. Quando crio uma peça, gosto de imaginar que consigo transportar as pessoas para um universo específico. Amo vestir peças mais sofisticadas e ir a lugares mais discretos e justamente quando as pessoas esperam me ver bem produzida, sempre me visto com mais simplicidade. O segredo é usar bons acessórios tais como um par de babouches em uma festa de casamento!

TO STAND OUT, ALWAYS!

Yes haha. And to have fun when I wear my own designs.

O IMPORTANTE É CHAMAR A ATENÇÃO, SEMPRE!

Sim (risos). E me divertir quando estou vestindo as minhas criações.

DID YOU HAVE ANY INVESTORS WHEN YOU STARTED OUT?

I started the company with R$ 150 000 invested in 3 equal parts between my boyfriend at the time, a girl friend and me. But I was the only one working in the company, they were helping me only in the financial and accounting areas. When you think about it, it is nothing! I had to use that money to produce the collection, to design the store, pay the rent, the team members… And then we used all the profit from the first collection to pay for the production of the second collection. Last year we sold a minor percentage of the company to the best fashion group of Brazil, called Soma. They were looking for a high-end brand to add to the catalogue they had. I liked the fact that from the start they told me that they didn’t want to get involved in the creative part since they thought we were doing a great job by ourselves. They invested in our business because it had the soul of its founder and creator. It was the perfect timing for us. We needed to be even more professional and weren’t able to go to the next stage without them.

NO COMEÇO VOCÊ CONTOU COM O APOIO DE INVESTIDORES?

Montei a empresa com R$ 150.000 que pertenciam, em três partes iguais, ao meu namorado na época, à uma amiga e a mim. Eu era a única que trabalhava na empresa, os outros dois só me ajudavam nas áreas financeira e contábil. Se você parar pensar, esse valor é nada! Usei o dinheiro para produzir a coleção, fazer o projeto da loja, pagar o aluguel e os salários das vendedoras…aí usamos todo o lucro da primeira coleção para financiar a segunda coleção. No ano passado, vendemos uma participação minoritária na empresa para o melhor grupo de moda brasileiro, o Soma, que estava procurando uma marca high-end para incluí-la em seu catálogo. Desde o início, gostei de saber que a Soma não queria se envolver na parte de criação, pois o grupo achava que estávamos fazendo um excelente trabalho sozinhos. Investiram no nosso negócio porque ele tem a alma da sua fundadora e criadora. Esse investimento veio na hora certa porque precisávamos ser ainda mais profissionais e não teríamos conseguido passar para a fase seguinte sem a Soma.

TO STAND OUT, ALWAYS!

Yes haha. And to have fun when I wear my own designs.

O IMPORTANTE É CHAMAR A ATENÇÃO, SEMPRE!

Sim (risos). E me divertir quando estou vestindo as minhas criações.

DID YOU HAVE ANY INVESTORS WHEN YOU STARTED OUT?

I started the company with R$ 150 000 invested in 3 equal parts between my boyfriend at the time, a girl friend and me. But I was the only one working in the company, they were helping me only in the financial and accounting areas. When you think about it, it is nothing! I had to use that money to produce the collection, to design the store, pay the rent, the team members… And then we used all the profit from the first collection to pay for the production of the second collection. Last year we sold a minor percentage of the company to the best fashion group of Brazil, called Soma. They were looking for a high-end brand to add to the catalogue they had. I liked the fact that from the start they told me that they didn’t want to get involved in the creative part since they thought we were doing a great job by ourselves. They invested in our business because it had the soul of its founder and creator. It was the perfect timing for us. We needed to be even more professional and weren’t able to go to the next stage without them.

NO COMEÇO VOCÊ CONTOU COM O APOIO DE INVESTIDORES?

Montei a empresa com R$ 150.000 que pertenciam, em três partes iguais, ao meu namorado na época, à uma amiga e a mim. Eu era a única que trabalhava na empresa, os outros dois só me ajudavam nas áreas financeira e contábil. Se você parar pensar, esse valor é nada! Usei o dinheiro para produzir a coleção, fazer o projeto da loja, pagar o aluguel e os salários das vendedoras…aí usamos todo o lucro da primeira coleção para financiar a segunda coleção. No ano passado, vendemos uma participação minoritária na empresa para o melhor grupo de moda brasileiro, o Soma, que estava procurando uma marca high-end para incluí-la em seu catálogo. Desde o início, gostei de saber que a Soma não queria se envolver na parte de criação, pois o grupo achava que estávamos fazendo um excelente trabalho sozinhos. Investiram no nosso negócio porque ele tem a alma da sua fundadora e criadora. Esse investimento veio na hora certa porque precisávamos ser ainda mais profissionais e não teríamos conseguido passar para a fase seguinte sem a Soma.

WHAT WAS THIS “NEXT STAGE”?

A lot of small things that inevitably makes the difference. For example, improving our internal processes, creating synergies throughout our supply chains, importing fabrics, outsourcing some of our back offices for areas such as IT or HR... All of these in order to help constructing a better company even if we were already really organized! In the early talks with them, they actually told us they were very impressed, especially for a Brazilian company which usually is more… “informal”. That helped a lot during the negotiations. I was very proud that after 15 years of existence, someone actually said “congratulations” and putting money in our business. The structure they have is really impressive, it gave us access to another level of business even with suppliers. I am really trusting them and it allows me to focus on what I love to do. You know, when I wake up in the morning I know I am going to have to kill 10 lions, but it is all about looking at the bright side of it. I could stop working if I wanted to, but it gives me so much pleasure and satisfaction that I don’t want to! Right now for example we are sponsoring the Pivô Arte e Pesquisa which is really important to me as I am passionate about Art (which especially in Brazil we need help with to support our many artists). Even the smallest conversations I have with people from Pivô inspire me so much.

E QUAL FOI ESSA “FASE SEGUINTE”?

São as pequenas coisas que inevitavelmente fazem toda a diferença como, por exemplo, melhorar os nossos processos internos, criar sinergias ao longo de toda a cadeia de fornecimento, importar tecidos, terceirizar algumas atividades de backoffice nas áreas de TI ou RH...tudo isso para construirmos uma empresa melhor, mesmo já sendo uma empresa altamente organizada! Na verdade, ao longo das nossas primeiras conversas com o grupo, a Soma já nos contou que estava muito bem impressionado, especialmente em se tratando de uma empresa brasileira que é, geralmente, mais… “informal”. E essa nossa característica nos ajudou muito durante as negociações. Fiquei muito orgulhosa do fato de que, após 15 anos no mercado, alguém nos cumprimentou pelo nosso trabalho e investiu dinheiro no nosso negócio. A estrutura deles é realmente impressionante e nos deu acesso a um outro nível de atuação até mesmo junto aos nossos fornecedores. Confio muito neles e isso me permite focar no que eu realmente gosto de fazer. Quando acordo de manhã, já sei que terei que matar dez leões por dia, mas tudo é uma questão de enxergar o lado positivo das coisas. Se quisesse, poderia parar de trabalhar, mas o meu trabalho me traz tanto prazer e satisfação que não quero parar de trabalhar! Nesse momento, por exemplo, estamos financiando o Pivô Arte e Pesquisa, um projeto muito importante para mim porque sou apaixonada por Arte. Precisamos apoiar os muitos artistas brasileiros. Só de conversar com o pessoal do Pivô já me deixa mais inspirada.

HOW MANY PEOPLE WORK FOR YOU NOW?

220

QUANTAS PESSOAS TRABALHAM ATUALMENTE COM VOCÊ?

220

HOW DO YOU CHOOSE YOUR TEAM MEMBERS?

I have people who have been working for me since the beginning, but it is always in movement: you hire people, you train them and then sometimes they have to leave you and then you have to start the whole process again with new people. But right now I think it is the best moment I ever had, “team wise”. In every department I have people that I trust and most of them have been with me since a very long time like Cris Cunha, our planning and product manager, Cacá Garcia in the creative department, Patricia Fiorda in the fabric area and so many people that I would love to cite but this interview would become a Bible! My partners, my sister and her husband are the ones truly responsible for the evolution and growth of the brand, are in charge of the planning, retail, production and finance. Without the incredible exchange we have together, everyday, it would have been impossible to make it our dream. With my team of experts in every department I can really focus on the design part. For sure I have to be present for everything because it is my company, but I don’t have to follow the daily conversations.

COMO VOCÊ ESCOLHE OS MEMBROS DA TUA EQUIPE DE TRABALHO?

Tenho pessoas que trabalham comigo desde o começo, mas a equipe está sempre em movimento: você contrata pessoas, treina elas e, às vezes, elas precisam sair e você tem que começar novamente todo o processo de contratação. Mas acho que, em termos de equipe, nunca estivemos tão bem. Todas as áreas são lideradas por pessoas nas quais confio e a maioria delas já trabalha comigo há bastante tempo como, por exemplo, a Cris Cunha, gerente de planejamento e produto, a Cacá Garcia na criação, a Patricia Fiorda na área de têxteis e tantas outras pessoas que eu adoraria poder mencionar, mas, se o fizesse, essa entrevista viraria uma Bíblia! A minha irmã e o marido dela que são meus sócios e verdadeiramente as pessoas responsáveis pela evolução e crescimento da marca, cuidam das áreas de planejamento, varejo, produção e finanças. Sem a troca incrível que eu tenho com eles teria sido impossível evoluir com nossos sonhos. Por poder contar com um especialista em cada área do negócio, posso realmente focar na área de design. É claro que preciso participar de tudo, pois é a minha empresa, porém, não preciso acompanhar de perto os assuntos do dia-a- dia.

I HAD ALREADY TALKED ABOUT IT WITH BETINA HERE, DESIGNERS MODELING THEIR OWN DESIGNS; TELL ME ABOUT THIS UNUSUAL THING. IS IT TO BLUR THE LINE AND REINFORCE THE FACT THAT YOU ARE BEHIND EVERYTHING?

It’s funny you would say that because I don’t feel I’m doing it that much (laughs). I feel it can create a bigger desire for people to see the clothes worn by a “real” person. For example when I see pictures of women wearing Cris Barros at a wedding, the next day sales from these specific dresses increase like crazy, even if these same clients were in the store the week before and already saw the dresses. It even works for me: when I see people wearing my designs that I don’t have in my personal closet, because obviously I don’t keep all the items I design, I suddenly feel the urge to have it. It works. (Laughs).

EU JÁ CONVERSEI COM A BETINA SOBRE OS ESTILISTAS DESFILAREM AS SUAS PRÓPRIAS CRIAÇÕES; FALE UM POUCO SOBRE ESSA COISA POUCO COMUM. É PARA EVITAR UMA SEPARAÇÃO E, DESSA FORMA, REFORÇAR O FATO DE QUE VOCÊ ESTÁ POR TRÁS DE TUDO?

É engraçado ouvir isso porque não acho que faça isso com tanta frequência assim (risos). Acho que quando as pessoas veem que as roupas estão sendo usadas por uma pessoa “real”, isso desperta o desejo delas. Por exemplo, quando vejo fotos de uma mulher vestida de Cris Barros em um casamento, no dia seguinte, as vendas desse vestido específico aumentam loucamente, mesmo que estas mesmas clientes tenham estado na loja na semana anterior e já tenham visto o vestido. Funciona até comigo: quando vejo pessoas vestindo criações minhas que não tenho no meu closet porque, obviamente, não guardo todas as peças que desenho, eu de repente sinto necessidade de tê-las. Funciona mesmo (risos).

INSTAGRAM HAS REALLY CHANGED THE GAME IN TERMS OF IMAGERIE. WE ARE BOMBARDED WITH IMAGES EVERY DAY. HOW DO YOU COPE WITH THAT TO STAND OUT?

Our brand is always evolving in the sense that I always try to improve it from one collection to another. I question myself about the shapes, the fabrics, the concepts, the moodboards… How I can keep inspiring my team… There are a lot of questioning involved to always keep on innovating. But thankfully now I really know who I am and what I like. When I am in a fitting, I always ask myself: do I really like this? Do I feel desire for it? To stand out, you have to have that knowledge about yourself. Otherwise you start going in wrong directions. I think the dream of every designer would be to do only one collection per year in order to have much more time to research for inspiration, try things out etc. That is a dream. A fantasy.

O INSTAGRAM REALMENTE MUDOU AS REGRAS DO JOGO EM TERMOS DE IMAGEM. SOMOS BOMBARDEADAS TODOS OS DIAS. COMO VOCÊ LIDA COM ISSO PARA CONTINUAR SE SOBRESSAINDO?

A nossa marca está em constante evolução no sentido de que sempre tento me superar a cada nova coleção. Me questiono e busco sempre novas formas, tecidos, conceitos, moodboards e como manter a minha equipe inspirada … Para manter a equipe sempre envolvida o processo de ir fundo na construção da coleção é muito importante para poder continuar inovando. Mas felizmente sei quem eu sou e do que realmente gosto. Quando estou em uma prova de roupa, sempre me pergunto: eu gosto mesmo desta peça? desejo ter essa peça? Para se sobressair, você precisa conhecer a si mesma caso contrário você começa a caminhar na direção errada. Acho que o sonho de todo estilista seria produzir uma coleção por ano para poder ter mais tempo para pesquisar diferentes fontes de inspiração, experimentar mais, etc. Isso é um sonho.

AND I GUESS THE “SEE NOW BUY NOW” RULE HASN’T HELPED. DO YOU SOMETIMES FEEL ENSLAVED TO DELIVER A PRODUCT TO ABIDE BY THE MARKETS SCHEDULE WHEN YOU ARE NOT READY?

I had my crisis about that. A few times actually. Haha. But then even if I see the process of constructing a collection very close to the process of an artist working, I am not an artist; I am a designer. And I think that to work with technical constraints like timing gets you much more creative. You have to deliver. There are no excuses. Everyone in the market works with the same constraints. You can choose to do differently but then you’ll do it just for yourself. I wish things were slower but I have to accept the game to be part of it. And I add even more to the difficulty since in order to stay exclusive we always work on huge collections but in very small number of pieces for each item. We work like crazy, my team is amazing to support this vision. The birth of a collection is such a stimulating thing to watch.

IMAGINO QUE A REGRA DO “SEE NOW BUY NOW” ATRAPALHE AINDA MAIS. ÀS VEZES VOCÊ SE SENTE OBRIGADA A APRESENTAR UM PRODUTO MESMO SENTINDO QUE ELE NÃO ESTÁ PRONTO PORQUE PRECISA SEGUIR A PROGRAMAÇÃO DO MERCADO DA MODA?

Já tive a minha crise em relação a isso. Na verdade, já tive algumas crises (risos). Mas aí lembro que, muito embora eu acredite que o processo de produção de uma coleção seja algo muito próximo ao processo artístico, eu não sou uma artista: sou uma estilista. Acredito que ter que se submeter a certas pressões de natureza técnica como a falta de tempo é algo que acaba te tornando uma pessoa mais criativa. Você tem que apresentar o resultado, não pode dar desculpas. Todas as pessoas que trabalham no mercado da moda sofrem as mesmas pressões. Você pode decidir trabalhar de outro jeito, mas terá que ser para você mesma. Gostaria que as coisas acontecessem mais lentamente, mas para participar do jogo, tenho que aceitar as regras. Algo que dificulta ainda mais é que, para mantermos a exclusividade, sempre trabalhamos com grandes coleções, porém com um pequeno número de peças de cada modelo. Trabalhamos com muito foco e minha equipe é fantástica porque ela apoia essa minha visão. É tão estimulante acompanhar o nascimento de uma coleção.

DO YOU FEEL YOU SOMETIMES (OR ALREADY) HAVE HAD TO SACRIFICE FOR YOUR CAREER?

Oh yeah, a lot : friends, family, fun moments, travelling. But I can’t complain because every time I get even just a day off, I do travel. I always had a different life from my girlfriends; I always had a very busy life. And today I reached a place where even if I still work a lot, I take my time to appreciate personal moments too.

VOCÊ JÁ TEVE QUE SACRIFICAR OU AINDA TEM QUE SACRIFICAR ALGUMAS COISAS DE VEZ QUANDO EM NOME DA SUA CARREIRA?

Com certeza, e muito: amigos, família, momentos gostosos, viagens, mas não posso reclamar porque toda as vezes em que tenho nem que seja um dia livre, eu acabo viajando. A minha vida sempre foi diferente da vida das minhas amigas; sempre tive uma vida mais inquieta. Hoje cheguei a um ponto em que mesmo trabalhando bastante, reservo também um tempo para aproveitar os bons momentos da minha vida pessoal.

YES! I SAW IN AN OLD ITW OF YOURS THAT YOU LOVED YOUR WORK BUT WERE NOT A WORKAHOLIC; WHICH I QUITE ENJOYED SINCE IT SEEMS NOWADAYS THAT IF YOU DON’T SAY YOU WORK 15 HOURS A DAY YOU’RE NOT COOL…

The secret about succeeding at your job, or at least doing it well is living your life! If you only work, where are you going to find your inspiration?

SIM! EU LI NUMA ANTIGA ENTREVISTA SUA QUE VOCÊ AMA O SEU TRABALHO EMBORA NÃO SEJA UMA WORKAHOLIC; GOSTEI DE LER ISSO PORQUE ME PARECE QUE, HOJE EM DIA, PARA SER COOL VOCÊ PRECISA DIZER QUE TRABALHA 15 HORAS POR DIA…

O segredo do sucesso profissional - ou de pelo menos fazer um trabalho bem feito - é viver a sua vida! Se você só trabalhar, aonde encontrará inspiração?

I THINK IT IS PRETTY BRAVE TO SAY THAT, ESPECIALLY AS THE BOSS OF A COMPANY WITH A BIG TEAM.

I still also have to show the example! Sometimes I am lazy too or very tired, but then I force myself to get out there, to go to that exhibition, to go to that party, to go on that tour, to talk to that person…

ACHO VOCÊ BEM CORAJOSA POR DIZER ISSO, ESPECIALMENTE POR LIDERAR UMA EMPRESA COM VÁRIOS FUNCIONÁRIOS.

Ainda preciso dar o exemplo! Às vezes, também tenho preguiça ou estou muito cansada, mas, nessas horas, me forço a sair, ir a uma exibição ou festa, fazer uma viagem, conhecer novas pessoas…

YES I GUESS WHAT REALLY NOURISHES YOUR BUSINESS IS FEELING TRUELY HAPPY TO GET TO WORK EVERYDAY, AND NOT OBLIGATED TO GO. I GUESS IT HELPS KNOWING YOUR EMPLOYEES ARE SO GREAT FOR YOUR BUSINESS.

Yes, I feel like they are my family.

SIM, IMAGINO QUE O QUE REALMENTE ALIMENTA O SEU NEGÓCIO É VOCÊ SE SENTIR FELIZ DE PODER IR TRABALHAR TODOS OS DIAS MESMO NÃO PRECISANDO. É BOM SABER QUE OS SEUS FUNCIONÁRIOS FAZEM UM BEM TÃO GRANDE PARA O TEU NEGÓCIO.

Sim, sinto que eles fazem parte da minha família.

PRETTY BIG FAMILY OF 220 MEMBERS, HAHA.

Haha. Brazilian family.

DE UMA GRANDE FAMÍLIA COM 220 PESSOAS (RISOS).

(risos). Sim, somos uma verdadeira família brasileira.

HAVE YOU EVER FELT INSECURE AT WORK? WHERE DO YOU SEE THE FRONTIER BETWEEN A MAN THAT COMPLIMENTS YOU AND A MAN THAT ABUSES YOU? I SAW AN OLD ITW OF YOU WHERE THE JOURNALIST COULDN’T STOP SAYING HOW BEAUTIFUL YOU WERE AND HOLDING YOUR HAND WHILE HE WAS SAYING IT. DOES THAT FEEL OKAY TO YOU?

Not specifically about men, but at the beginning I hated giving interviews because people would only talk about my modeling career or who I was dating. I get that people are curious about that stuff but I wanted to show I was a designer. I am very careful who I give interviews to, now.

VOCÊ ALGUMA VEZ JÁ SE SENTIU INSEGURA NO TRABALHO? ATÉ ONDE VAI A LIBERDADE DE UM HOMEM QUE TE ELOGIA E OUTRO QUE TOMA CERTAS LIBERDADES? VI UMA ANTIGA ENTREVISTA SUA NA QUAL O JORNALISTA NÃO PARAVA DE ELOGIAR A SUA BELEZA ENQUANTO SEGURAVA A SUA MÃO. TUDO BEM ISSO PARA VOCÊ?

No início eu detestava dar entrevistas, não necessariamente pelo fato do entrevistador ser um homem, mas porque as pessoas só queriam falar sobre a minha carreira de modelo ou descobrir quem eu estava namorando. Entendo que as pessoas tenham curiosidade sobre esse tipo de assunto, mas o que eu queria era mostrar que eu era uma estilista. Hoje em dia, tomo muito cuidado em relação a aceitar ou não dar uma entrevista.

HOW DO YOU FEEL ABOUT THE #TIMESUP MOVEMENT THAT IS HAPPENING RIGHT NOW?

This movement is so important for women. I believe in equality. For me it is easier because the fashion industry here, or at least the people I deal with are mainly women. But I remember when I started the business I looked younger than I was and whenever I had to negotiate rents or any financial aspect of the company, people would assume it would be easy to get what they wanted since I would probably not understand anything from my apparent young age. Weirdly enough it was always turning around in my favor since they would never expect I would actually know how to deal with these things; they were surprised and I would always get what I want. I also think I am a very lucky woman because I have an amazing husband who supports me in my decisions. He is always so proud of my work… When I say I love what I do and I have fun doing it, it is also because I have him by my side. He gives me so much strength and teaches me how to have fun and always stay positive. I used to come home at night complaining about problems at work and he would look at me and tell me “do you want to know everything I have been through at work today or should we enjoy ourselves and a have a nice dinner?”. He brings so much lightness. Of course when I really need to share important things he is always here to listen. He has this expression he always says to me “vamos pra frente que atrás tem gente” (editor's note: let's move forward). I love it, it reminds me that I should never pity myself and I feel stronger whenever I say it to myself.

O QUE VOCÊ ACHA DO ATUAL MOVIMENTO #TIMESUP?

Este é um movimento tão importante para as mulheres. Acredito em igualdade. Para mim é fácil falar porque o mercado da moda no Brasil - ou pelo menos as pessoas com as quais me relaciono - são, em sua maioria, mulheres. Mas me lembro que quando estávamos montando a empresa, eu aparentava ser mais jovem do que realmente era, então, na hora de negociar o valor do aluguel ou tratar de qualquer outro aspecto financeiro da empresa, as pessoas partiam do princípio de que facilmente conseguiriam o que queriam já que achavam que eu provavelmente não entendia nada do assunto, afinal era tão jovem. Mas ficavam surpresas comigo porque sempre conseguia o que queria. Também me acho uma mulher de muita sorte porque tenho um marido maravilhoso que apoia as minhas decisões. Ele se orgulha muito do meu trabalho…quando digo que amo o que faço e me divirto fazendo esse trabalho é porque também tenho ele ao meu lado. Ele me dá tanta força e me ensina a me divertir e sempre pensar de uma maneira positiva. Costumava chegar em casa à noite e reclamar dos meus problemas no trabalho. Aí ele olhava para mim e dizia: “você quer que eu te conte todos os problemas pelos quais eu passei no meu escritório hoje ou vamos aproveitar esse momento gostoso em que podemos jantar juntos?”. Ele me traz tanta leveza. É claro que, quando preciso trocar ideias com ele sobre um assunto importante, ele está sempre lá para me escutar. Ele sempre me lembra do “vamos em frente que atrás vem gente”. Eu adoro, pois me faz lembrar que nunca devo sentir pena de mim mesma. Sempre que repito essa expressão para mim mesma, me sinto fortalecida.

WHO ARE YOU INSPIRED BY? YOUR INSTA SERIES HAVE BEEN SHOWCASING REAL BRAZILIAN WOMEN WHEN EVERYBODY ELSE WAS STILL FOCUSED ON MODELS ONLY; DO YOU GENUINELY FIND INSPIRATION IN THESE WOMEN OR IS IT JUST A GREAT MARKETING STUNT?

It ends up being a marketing stunt but it never started as one. I think it is all about us wanting to challenge ourselves with new things, especially since our brand is 15 years old. When we started on Instagram, nobody was doing anything with it so we thought it would be fun to do something specific for this channel and produced these short videos. It really started out as a fun project, we called our friends to participate in it which was something different than showing a bunch of models (which would have been very expensive too!). I love featuring my friends because they really inspire me. Lots of them are designers too, we travel together, we party together… And in the end we have these experiences together which I cherish. We always exchange so much during these moments spent together. I support all of them in their individual ventures, and I love doing collaborations with them. This exchange between us is amazing.

QUEM TE SERVE DE INSPIRAÇÃO? AS SUAS SÉRIES NO INSTA MOSTRAM MULHERES BRASILEIRAS REAIS ENQUANTO TODO MUNDO AINDA MOSTRA SOMENTE IMAGENS DE MODELOS PROFISSIONAIS; ESSAS MULHERES SÃO REALMENTE UMA FONTE DE INSPIRAÇÃO OU ISSO É SÓ UM BOM MARKETING?

Marketing não foi a intenção original. Acredito que tem a ver com querermos pensar em novas possibilidades, ainda mais em função da nossa marca ter sido criada há quinze anos. Quando entramos no Instagram, quase ninguém o usava para nada diferenciado e pensamos que seria bacana desenvolvermos algo específico para esse tipo de canal. Foi então que começamos a produzir esses vídeos mais curtos. A verdade é que começou como um projeto divertido no qual convidamos os amigos para participar e fazer algo diferente ao invés de mostrarmos só modelos (o que também teriam sido bem mais caro)! Adoro trabalhar com minhas amigas porque elas realmente me inspiram. Muitas delas também são estilistas, viajamos e vamos às festas juntas… acabamos dividindo experiências que se tornam recordações especiais. Trocamos tanta coisa durante esses momentos que passamos juntas. Apoio cada uma delas em suas respectivas empreitadas e adoro trabalhar em colaboração com elas. Essa troca entre a gente é sempre muito boa.

WHERE DO YOU GO TO FOR MENTORSHIP?

It depends : for business advice I tend to go to my husband, and I do exchange a lot with my associates Dani (Barros Verdi) and Luis Felipe (Verdi) which are amazing. And now we have Soma which is really helpful in giving constructive advice. For creation, I go a lot to my team.

QUEM VOCÊ PROCURA QUANDO PRECISA DE CONSELHOS?

Depende. Se precisar de conselhos sobre negócios, costumo pedir para o meu marido. Troco a maioria das ideias com os meus sócios Dani (Barros Verdi) e Luis Felipe (Verdi), que são fantásticos. E agora temos o Soma, que nos ajuda muito dando conselhos construtivos. Quando o assunto é criação, converso muito com a minha equipe.

WHAT IS SACRED FOR YOU?

My holidays! Haha.

O QUE É SAGRADO PARA VOCÊ?

Minhas férias! (risos)

WHAT SHOULD YOU TRY AT LEAST ONCE IN YOUR LIFE?

Try to do new things. Always. It is not about one thing. It is about living your life in a non-boring way!

O QUE VOCÊ ACHA QUE DEVEMOS EXPERIMENTAR PELO MENOS UMA VEZ NA VIDA?

Tente fazer coisas novas. Sempre. Não fique limitado a uma só coisa. Acho que se resume a viver a vida de uma forma inovadora.

WHEN ARE YOU YOURSELF THE MOST?

I have a very quiet side and sometimes I really need my peace. My husband owns a farm in the interior of São Paulo, and I’ve had my happiest moments there. It’s all about the week-ends with family, friends or even just by ourselves, walking bare feet in the grass… We have a tree house there and it’s the perfect place for me to draw new designs. The energy of the nature during the day and at night we cook spaghettis with a glass of wine and we have finally time to talk. It is very special. I feel myself there.

QUANDO VOCÊ É MAIS VOCÊ MESMA?

Tenho um lado muito tranquilo e às vezes realmente preciso ter paz. Meu marido tem uma fazenda no interior de São Paulo e foi lá que vivi os meus momentos mais felizes. Aos finais de semana, vamos com a família, amigos ou sozinhos, andamos descalços na grama…temos uma casa na árvore que é o lugar perfeito para criar e desenhar. A energia da natureza durante o dia e, à noite, preparamos um spaghetti acompanhado de uma taça de vinho e finalmente temos tempo para conversar. É algo muito especial. Lá eu me sinto eu mesma.

WHAT IS YOUR FAVOURITE SONG?

I never know what to answer to that question! I do not have a favorite song. It depends a lot on the phase I'm into. But I will always love Brazilian music. I think it's beautiful and poetic.

QUAL A SUA MÚSICA PREFERIDA?

Nunca sei responder essa pergunta! Não tenho uma música preferida. Depende muito da fase em que estou, mas sempre vou amar a música brasileira. É linda e poética.

BRAND & CLIENTS