Nenhum produto no carrinho.

Subtotal: R$0,00

HOW DOES A YOUNG MOTHER FIND TIME TO TAKE CARE OF HERSELF?

It’s all about scheduling it in your agenda, like “I have a meeting with myself today” (laughs). You have to be really loyal to yourself, and moreover you have to love yourself.

COMO UMA JOVEM MÃE ARRANJA TEMPO PARA CUIDAR DE SI MESMA?

É tudo uma questão de organizar a tua agenda e incluir nela algo como, por exemplo, “Hoje tenho uma reunião comigo mesma” (risos). Você precisa ser realmente leal a si mesma e, além disso, precisa se amar.

WHAT DO YOU STILL DO EVEN IF YOU ARE VERY TIRED OR IN A HURRY?

I brush my teeth! (Laughs). But more seriously, when you give birth, you give yourself to your baby completely: he becomes your centre of attention, the only thing you care about. At some point you become stronger because you realize you were the one who made it. When this feeling comes, I have more will to take care of myself.

O QUE VOCÊ NÃO DEIXA DE FAZER MESMO QUE ESTEJA CANSADA OU COM PRESSA?

Escovar os dentes! (risos). Agora, falando sério, quando você dá à luz, você se doa completamente ao bêbê: ele se torna o centro da tua atenção, a única coisa com a qual você realmente se importa. Em um certo momento, você se fortalece porque se dá conta de que foi você que fez ele. Quando esse sentimento surgir, terei mais tempo para cuidar de mim mesma.

WHAT IS YOUR BEAUTY ROUTINE?

The only thing I do religiously no matter what, is taking off my make up at the end of the day. But I don’t wear make up every day… Does it still count as a beauty routine? (Laughs).

QUAL É A TUA ROTINA DE BELEZA?

A única coisa que faço religiosamente, independente de qualquer coisa, é remover a maquiagem no final do dia. Mas não uso maquiagem todos os dias…então escovar os dentes conta como rotina de beleza? (risos).

WHAT PART OF YOUR FEMININITY DO YOU FEEL EMPOWERING?

Pregnant, I was feeling that I could always produce more. My mother in law actually told me she felt that too when she was pregnant herself. But when you think about it, what more could I have been producing? I was already producing a human!

QUAL É O ASPECTO DA TUA FEMINILIDADE QUE VOCÊ ACHA MAIS EMPODERADOR?

Quando estava grávida, sentia que podia produzir sempre mais. A minha sogra me contou que ela também se sentiu assim quando estava grávida. Mas se você parar e pensar a respeito, o que mais eu poderia estar produzindo? Já estava produzindo um ser humano!

DO YOU FEEL MOTHERHOOD HAS CHANGED YOUR FEMININITY?

Giving birth changed me completely! I changed my whole life. I say hi to new friends and let old friends go, I dress differently, I wear my hair differently, I think differently… I think I became a grown-up. Actually, I became a woman. It gave me more confidence too. Weirdly enough, when I had the baby, I wasn’t feeling lost at all. Everyone was trying to help me by giving advice or telling me what I should be doing, only I already knew what I had to do. I didn’t want nor need anybody’s help, I just knew deep inside what I was doing.

SENTE QUE A MATERNIDADE MUDOU A SUA FEMINILIDADE?

Dar à luz me mudou completamente! Mudei toda a minha vida. Disse oi para novos amigos e deixei outros amigos partirem, me visto diferente, uso o meu cabelo diferente, penso diferente...acho que me tornei adulta. Na verdade, me tornei mulher. Também fiquei mais confiante. O mais estranho de tudo é que não me senti nada perdida quando tive o Gael. Todos ficaram tentando me ajudar, dando conselhos ou dizendo o que eu deveria estar fazendo, só que eu já sabia o que tinha que fazer. Não queria nem precisava da ajuda de ninguém porque sabia, lá no fundo, o que tinha que ser feito.

ENTÃO IMAGINO QUE QUEM GANHOU FOI A TUA MÃE, CERTO?

Risos. Sim.

WHAT DID YOU STUDY THERE?

In high school I started to realize I wasn’t made for economy nor math nor any other field of this type. I felt very lost and didn’t know what I wanted to do until my final high school year where I started taking drawing lessons and suddenly became sure about something in my life. I started looking at universities to explore that area and found one where I could study design. I believed I could earn some money with a design job, which would combine the only thing I wanted to do with actually earning a life. Only when I started the course, it hit me that I had a total misconception of what design really was. It didn’t feel like Art at all, which I realized was what I really wanted to do, and I also rapidly understood that I wasn’t going to be rich anyway. (Laughs). At some point I allowed myself to let go of this design career, taking with me the things I learned while studying for it and just following my own path. I am grateful for everything I was taught there since it elevated me so much

O QUE ESTUDOU LÁ?

Quando estava no colegial, me dei conta de que não era feita para ser economista ou matemática ou para trabalhar em qualquer outra área nessa linha. Me senti muito perdida e não soube o que queria ser até o último ano do colegial, quando comecei as aulas de desenho e, de uma hora para outra, finalmente tive certeza de algo na minha vida. Comecei a procurar cursos universitários e encontrei um no qual poderia estudar design. Acreditava que conseguiria ganhar um dinheirinho trabalhando com design, trabalho esse que combinaria a única coisa que eu gostava de fazer com uma maneira de me sustentar. Quando comecei o curso, me dei conta de que tinha uma visão distorcida sobre o que o design realmente é. Não tinha nada a ver com arte, que era o que eu realmente buscava. E foi aí que entendi rapidamente que, de qualquer maneira, nunca ficaria rica (risos). A certa altura, me permiti desistir desta carreira de designer, mas levei comigo o que havia aprendido no curso e segui o meu próprio caminho. Sou grata por tudo o que aprendi no curso porque ele me elevou.

HOW LONG DID YOU KEEP STUDYING DESIGN?

From 2012 until 2016. I had to stop the course since I fell pregnant and I had to deliver the baby! (Laughs). This was a crazy experience for me, being pregnant at school. But you know this started something new for me that I didn’t know I had in me: I began not caring so much about what people would think.

VOCÊ CURSOU QUANTOS ANOS DO CURSO DE DESIGN?

De 2012 a 2016. Tive que parar o curso porque engravidei e tive que dar à luz! (risos). Ir para a faculdade grávida foi uma experiência maluca para mim. Mas, por outro lado, isso mostrou que tinha dentro de mim algo que desconhecia: comecei a não me importar muito com o que as pessoas pensam.

HOW DID YOU START DRAWING? WAS IT ALWAYS SOMETHING YOU WERE DOING?

I started drawing as a very young child and I remember my mom always telling me I should become an architect. There is something really strange with me when I am drawing: I tend to work the best when I am in a cloudy mood. So when I was 16, I kind of became very productive! (Laughs). At this age I was confused and I felt the need to plunge deep in my heart to find the inspiration to express myself. I was writing a lot, taking pictures, painting… Everything was a way to escape from this state of confusion for me.

COMO FOI QUE COMEÇOU A DESENHAR? VOCÊ SEMPRE DESENHOU?

Comecei a desenhar quando ainda era pequena e me lembro que a minha mãe vivia dizendo que eu deveria ser arquiteta. Quando estou desenhando, sempre acontece uma coisa estranha comigo: costumo trabalhar melhor quando estou com um humor mais sombrio. Aos 16 anos eu era muito produtiva! (risos). Nessa idade, eu estava confusa e sentia a necessidade de mergulhar no meu coração para encontrar a inspiração necessária para conseguir me expressar. Escrevia muito, tirava fotos, pintava…tudo como uma forma de fugir desse estado de confusão.

DO YOU FEEL YOU CAN EASILY FORGET ABOUT BEING YOURSELF BEFORE BEING A MOTHER?

When my baby was born, he slept a lot. I actually had a lot of time for myself and started looking out for the “old” me, but she was not there anymore. It’s a punch in the face the first time you realize that. You have to welcome and acknowledge your new self and it is not easy at all.

ACHA QUE É FÁCIL A MULHER ACABAR ESQUECENDO DE SER ELA MESMA QUANDO SE TORNA MÃE?

Quando o meu filho nasceu, ele dormia bastante, então eu tinha um tempão para mim mesma. Foi quando comecei a procurar pela minha “antiga” eu e percebi que ela já não existia mais. Na hora que você se dá conta disso, é como se tivesse levado um soco na cara. Você precisa dar as boas vindas a isso e reconhecer o seu novo eu, o que não é nada fácil.

DO YOU MISS THE OLD YOU?

Sometimes I do. I remember saying once to Gabriel (editor’s note : Jade’s boyfriend and father of her son) that I felt old. I am 24 years old and I felt old. I wanted to dye my hair blond like I used to do when I was 18 and he was like: “this is not you anymore” (laughs). I started accepting the new version of me; with my changed body, my changed mind, my changed priorities, my different friends…

SENTE FALTA DA “ANTIGA” VOCÊ?

Às vezes sim. Me lembro de ter dito uma vez para o Gabriel que me sentia velha. Tenho 24 anos e me senti velha. Quis pintar o cabelo de loiro como fazia quando tinha 18 anos e ele disse: “essa não é mais você” (risos). Comecei a aceitar a minha nova versão: com o meu corpo mudado, minha cabeça mudada, minhas prioridades mudadas, amigos diferentes…

WHAT DO YOU DO TO TAKE CARE OF YOURSELF?

Taking care of myself now can mean something different. But I still enjoy going to the gym, having someone coming to my house to do my nails… It is an investment on myself since I feel really happy when I do that for me and I know the importance of it.

O QUE FAZ PARA CUIDAR DE SI MESMA?

Hoje, cuidar de mim mesma pode significar algo diferente. Mas ainda gosto de ir à academia, ter uma manicure que venha em casa…É um investimento em mim mesma porque me sinto realmente feliz quando faço isso por mim e sei como isso é importante.

I NOTICED YOU CUT YOUR HAIR SHORTER SINCE YOU HAVE BABY GAEL. DOES YOUR FEMININITY BECOME MORE FUTILE WHEN YOU HAVE A CHILD?

Like I said, for me it was the opposite that happened, motherhood made me feel like a woman. I wanted to dress and look like the person I was feeling I was becoming. It was really strong: I felt different and I needed to transform physically accordingly. But there is this thing also about women changing their hair you know… It often means they start a new cycle. I always feel renovated when I change my hair. I used to always cut my hair by myself. One day, as I was in France and in need of a haircut I looked up on the internet and found a reference that I loved. It was really short and I started to cut all my hair off. I looked like a little boy and it was so cold outside I remember I had to use earmuffs. It kind of cured me of ever cutting my own hair again (laughs). The last time I felt I really needed to cut it was when I was 8 months pregnant. I remember very clearly how scared my boyfriend was that I would cut it too short and told me : “this is the haircut you are going to have on the pictures of our child’s birth”… Like, don’t mess it up!(Laughs). Long story short, I cut it anyway.

PERCEBI QUE VOCÊ ESTÁ COM UM CORTE MAIS CURTO DO QUE O CORTE QUE USAVA ANTES DE TER O GAEL. A FEMINILIDADE SE TORNA ALGO FÚTIL QUANDO UMA MULHER TEM UM FILHO?

Como eu disse, no meu caso, aconteceu o oposto porque a maternidade me fez sentir mulher. Quis me vestir e ter a aparência da pessoa que eu sentia que estava me tornando. Foi algo muito forte: estava me sentindo diferente e precisava me transformar fisicamente de acordo com o que estava sentindo. Mas também tem aquela coisa, sabe...dizem que quando as mulheres mudam o corte de cabelo isso geralmente significa que elas estão começando um novo ciclo. Sempre me sinto renovada quando mudo o meu cabelo. Sempre cortei o meu próprio cabelo. Um dia estava na França e precisando cortar o cabelo quando entrei na Internet e encontrei uma referência que eu amei. O corte era bem curtinho e comecei a cortar todo o meu cabelo. Fiquei parecida com um menino e estava tão frio que tive que usar um tapa-orelhas. Essa experiência me curou totalmente de tentar cortar o meu próprio cabelo de novo (risos). A última vez em que senti vontade de cortar o cabelo foi quando estava grávida de 8 meses. Me lembro claramente de como o meu namorado ficou com medo de que eu cortasse o cabelo curtinho e disse: “esse é o corte com o qual você aparecerá em todas as fotos do nascimento do nosso filho…tipo, não vai estragar, né? (risos). Para encurtar a estória, cortei mesmo assim.

DO YOU THINK BEING A WOMAN IS A POWER?

A power? Of course! There is something about the history of women’s conquest that looks like it has been done the masculine way, like sometimes too many aggressive fights. Of course women can fight, I am not saying we are weak. But we are more sensitive and intuitive and I think this is our real weapon. I see this side in many men also: their feminine side is their powerful side. I believe we have to give voice to that because we have the power to change the situation.

VOCÊ ACHA QUE SER MULHER É ALGO PODEROSO?

Poderoso? Claro que é! Parece que todas as conquistas das mulheres ao longo da história foram alcançadas de uma maneira masculina e, às vezes, incluiram até mesmo lutas muito agressivas. É claro que as mulheres sabem lutar, não estou dizendo que somos fracas. Mas somos mais sensíveis e intuitivas e acho que essas são as nossas verdadeiras armas. Vejo que muitos homens também têm esse lado sensível e intuitivo e esse lado feminino é o lado poderoso deles. Acredito que temos que dar voz a essas características porque temos o poder de mudar a situação.

THE PROBLEM NOW IS TO MAKE SURE WE ARE MAKING OURSELVES HEARD CORRECTLY.

Being aggressive at first is important since it is how we poke men and the rest of the society and that is how it has been done since ever. But now I think we have reached the moment where we can add the sensitive and intuitive side to the fight. I am hopeful.

O PROBLEMA ATUAL É TER CERTEZA DE QUE ESTAMOS SENDO DEVIDAMENTE OUVIDAS.

Ser agressiva no começo é importante porque é assim que cutucamos os homens e o resto da sociedade e sempre foi feito dessa forma. Mas agora acho que chegamos no momento em que podemos incluir o nosso lado sensível e intuitivo nessa luta. Tenho esperanças.

I AM TOO. THANK YOU SO MUCH JADE.

EU TAMBÉM TENHO. MUITO OBRIGADA JADE.

BRAND & CLIENTS